Você está aqui: Página Inicial / Disciplinas / Manejo Integrado de Pragas e Doenças Florestais

Manejo Integrado de Pragas e Doenças Florestais

Disciplina Optativa

Número de Créditos: 10

Justificativas:

O conhecimento sobre as bases do Manejo Integrado de Pragas e Doenças Florestais é condição fundamental para o desenvolvimento de estudos de acordo com o que se espera de um pós-graduando na área de Proteção de Plantas. Esta disciplina atende ao duplo propósito de: a) oferecer ao pós-graduando os conhecimentos básicos para a atividade de pesquisa na linha e b) impulsionar o desenvolvimento de seu trabalho de Dissertação e/ou Tese.

Espera-se que, ao término desta disciplina os discentes estejam em condições de desenvolver estudos sobre os seguintes temas: danos e prejuízos causados pelas pragas e doenças florestais; identificação das principais espécies de pragas e doenças; condições para discutir os métodos de monitoramento e controle para redução populacional; fornecer subsídios necessários para a inovação tecnológica do controle desses organismos e compreender a filosofia do manejo integrado no contexto florestal.

Ementa:

- Introdução e importância das pragas e doenças florestais, fatores ecológicos e dinâmica de populações e comunidades.

- Uso de bioindicadores ambientais; pragas e doenças de importância florestal: identificação e bioecologia dos desfolhadores, broqueadores, manchadores, apodrecedores, rizófagos e pragas e doenças de madeira.

- Avaliação dos danos causados pelas pragas e doenças: relacionar tipo de praga e doença com danos; quantificação dos danos.

- Amostragem e monitoramento de pragas e doenças florestais, manejo integrado de pragas e doenças: conceitos e exemplos.

- Desenvolvimento de programas de MIPD.

- Métodos de controle de pragas e doenças florestais: químico, biológico, microbiano, silvicultural e comportamental.

- Resistência de plantas a insetos e doenças.

Bibliografia Principal:

ALVES, S.B. (Ed.) 1998. Controle microbiano de insetos. Piracicaba, FEALQ, 1163 p.

ANDERSON, J.F. & KAYA, H.K. 1976. Perspectives in Forest Entomology. N. york, Academic Press. 427 p.

BARBOSA, P. & SCHULTZ, J.C. 1987. Insect outbreaks. San Diego, Academic Press. 577 p.

BERRYMAN, A.A. 1986. Forest insects. N. York, Plenum Press, 279 p.

COULSON, R.N. & WITTER, J.A. 1984. Forest Entomology. N. York, John Wiley & Sons. 669 p.

CRAWLEY, M.J. (Ed.) 1992. Natural enemies. The population biology of predators, parasites and diseases. Blackwell Science. 592 p.

CROCOMO, W.B. (Org.) 1990. Manejo Integrado de Pragas. Ed. UNESP / CETESB, São Paulo. 358 p.

FLECHTMANN, C.A.H.; COUTO, H.T.Z.; GASPARETO, C.L.; BERTI FILHO, E. 1995. Manual de pragas em florestas. Scolytidae em reflorestamentocom pinheiros tropicais. Vol.4. Piracicaba, IPEF. 201 p.

MILLER, J.R. & MILLER, T.A. (Eds.) 1988. Insect plant interactions. Springer- Plenum Press, Heildelberg 345 p.

PEARCE, M.J. 1997. Termites. Biology and Pest Management. Wallingford, CAB International. 172 p.

PEDROSA-MACEDO, J.H. (Coord.) 1993. Manual de pragas em florestas. Pragas florestais do sul do Brasil. Vol.2. Piracicaba, IPEF/SIF. 111 p.

REUVENI, R. (Ed.) 1995. Novel approaches to integrated pest management. Lewis Publishers. 520 p.

SPEIGHT, M.R. & WAINHOUSE, D. 1989.Ecology and Management of Forest Insects. N. York, OxfordUniv. Press. 374 p.

SZUJECKI, A. 1987. Ecology of forest insects. Warszawa, Polish Scientific Publishers. 601 p.

ZANÚNCIO, J.C. (Coord.). 1993. Manual de pragas em florestas. Lepidoptera desfolhadores de eucalipto: biologia, ecologia e controle. Vol.1. Ed.Folha de Viçosa, 140 p.

BERGAMIN FILHO, A.; KIMATI, H.; AMORIM, L. [eds.]. Manual de 
fitopatologia, Vol. 1. São Paulo: Ed. Agronômica Ceres, 1995. 919p. 

FERREIRA, F. A. Patologia Florestal. Soc. Inv. Cient.. Viçosa. 1989. 570 pp. 

FERREIRA, Francisco Alves; MILANI, Doraci. Diagnose visual e controle das doenças abióticas e bióticas do eucalipto no Brasil = Visual diagnosis and control of abiotic an biotic eucalyptus diseases in Brazil. Mogi Guaçu,SP: International Paper, 2002. 98 p. 

KIMATI, H.; AMORIM, L.; BERGAMIN FILHO, A.; CAMARGO, L.E. A.; 
REZENDE, J. A. M. Manual de Fitopatologia, 3. ed., São Paulo: Agronômica Ceres, v. 2, 1997, 726p.